Não existe cirurgia milagrosa e dieta mágica. Existe foco, disciplina, perseverança e NUNCA desistir

Weight Loss Center - Your Online Weight Loss Support Group

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Desabafo de uma psicóloga sobre reeducação alimentar

Antes de mais nada, gostaria de falar, que p fato de ser psicológica, não me favorecia em relação a minha obesidade. Na doença, somos todos iguais.

Quando montei esse blog, pensei em fazer como um diário de bordo no ponto de vista de uma psicóloga.

Depois resolvi mergulhar de cabeça nesse momento único. Me despi de toda tese e teorias, e resolvi ver de forma bem clara e nu, todos os meus sentimentos. Só assim, poderia saborear esses sentimentos, o que me ajudaria e me daria condições de ajudar a tantas pessoas.

Sabe o que eu descobri e percebi depois de fazer a cirurgia bariátrica?

Descobri que cirurgia bariátrica não é um milagre e que não existe fórmulas e nem dietas mágicas.

Descobri que muitas pessoas magras não sabem o que os obesos passam. Percebi que muitas vezes me importei com opiniões alheias, e que essas opiniões é que me deixaram muito mais doente.

Descobri que sempre procurei me ausentar de fotos, porque tinha vergonha de mim e do meu corpo e que me escondia na minha própria amargura. E as pessoas não lembram mais de mim por eu me esconder tanto.


Percebi que tapar a barriga com a almofada ou com bolsas, não me ajuda a parecer mais magra.


Percebi que meus problemas eram amenizados com comida. Me apoiava nela como uma amiga e  que comer era um prazer sem igual.

Descobri que os momentos bons da vida como: reunir amigos, visitar parentes, passear no shopping, festas, quase sempre acabam sendo celebrados em volta de uma mesa e que talvez por esse motivo a comida seja associada com a felicidade para nós obesos.

Percebi que não comia pra engordar e sim por momentos felizes e que esses momentos felizes nunca chegaram, e que a felicidade que ela as vezes proporcionava era uma ilusão. Falsa ilusão!

Percebi que precisava de mais amizades e não de mais comida.


Percebi que se eu tivesse a oportunidade e minha vida e meu bem estar não estivessem em jogo eu estaria sempre "furando” a dieta pós operatória, digo sempre, porque as vezes furo. Mas me proponho a ter mais vigilância em relação a isso. 

Percebi meu escapismo, cada dia maior, das atividades de lazer, era pra evitar fadiga e as dores nas pernas causadas pelo excesso de peso. Percebi que não preciso da preguiça que a obesidade proporciona. Preciso de parques da natureza e de mais momentos de lazer.

Percebi que quando me chamavam de gorda ou do mais comum apelido: gordinha. Magoava-me muito! O meu sorriso escondia a minha dor. escondia até de mim mesma.

Descobri que posso ser mais do que um rosto bonitinho, uma pessoal legal e divertida.

Descobri que o capitalismo esta condenando a nossa sociedade a essa pandemia chamada obesidade. Descobri que obesidade é uma doença crônica.

Percebi que quero e mereço estar bem comigo mesma e com meu corpo, e não mais ridicularizada pelas opiniões de algumas pessoas magras (disse algumas, não todas) que não entendem como uma pessoa pode chegar a tal ponto de obesidade.

Descobri que ser gordo é traumático e que me trouxe marcas na pele como cicatrizes e estrias que terei que carregar pro resto da minha vida, mas que alas são menores e menos doloridas do que as marcas na alma. As cicatrizes e estrias podem ser escondidas, amenizadas.

Percebi que a cabeça deve ser tratada, e descobri também a importância de participar de um grupo de pessoas que passam a mesma dificuldade que a sua.  Percebi que, principalmente, quem deveria me ajudar era eu mesma.

Descobri que comer bem não é comer um montão e sim comer pouco com qualidade, e que se tornou difícil depois que o capitalismo nos apresentou sabores que mechem com minhas emoções e sentidos.

Percebi que sempre tive distorção da minha imagem, e que essa distorção foi criada pela mídia. Percebi que há muito tempo atrás, quando me achava muito gorda, na realidade eu era magra. Descobri que quero voltar a ser como antes.

Percebi que não teria tido todos esses transtornos se tivesse descoberto tudo isso antes.

Descobri que não gosto de ser gorda e que a comida é um vicio que somos obrigados a controlar pro resto da vida.

Percebi que pensei: o que foi que eu fiz?  E descobri que eu fiz a escolha pela vida e felicidade, pela saúde e autoestima.

Descobri que não gosto de fazer dieta, mas que é necessário viver pro resto da vida com ela.

Descobri que não tinha percebido nada disso antes, mas estou feliz por aprender.

Postar um comentário

Receba as postagens por e-mail